Sofrimento e felicidade

“Encaro o sofrimento como um sentimento ambíguo, o qual, junto à face da consternação, traz intimamente colada em seu verso a imagem do júbilo que acabara de ser interrompido, talvez só neste instante percebido. Paralelamente, a felicidade carrega junto a si, como um castigo a professar, a certeza de que, quanto menos valor é dado aos segundos a serem desfrutados, mais rápido se esvaem, dando passagem ao que pode ser a sua ausência. E, nesse caso, dependeremos do sofrimento para lembrarmos o que tínhamos de bom.” – Um de nós deve saber: A divina tragédia de Klaus por Edu Martins